Destaques Empresariais

Cooperativa – Uma Alternativa de Empreendimento na Crise

Posted on: 28/07/2015

Cooperativa é uma associação de pessoas com interesses comuns, economicamente organizada de forma democrática, isto é, contando com a participação livre de todos e respeitando direitos e deveres de cada um de seus cooperados, aos quais presta serviços, sem fins lucrativos.

Na prática, é uma forma de empreendimento que visa facilitar o acesso aos mercados, de forma organizada, aos associados.

Exemplos:

Cooperativa de consumo – facilitar a compra em grupo, a preços menores.

Cooperativa de crédito – facilitar a obtenção de crédito, com encargos menores que os praticados pelos bancos.

Cooperativa de produção – ampliar a produtividade e possibilitar acesso aos mercados concorrenciais.

Cooperativa de trabalho – aglutinar forças para oferecer serviços de qualidade com retorno financeiro compatível.

A sociedade cooperativa apresenta os seguintes traços característicos:

  • É uma sociedade de pessoas.
  • O objetivo principal é a prestação de serviços.
  • Pode ter um número ilimitado de cooperados.
  • O controle é democrático: uma pessoa = um voto.
  • Nas assembleias, o quórum é baseado no número de cooperados.
  • Não é permitida a transferência das quotas-par­te a terceiros, estranhos à sociedade, ainda que por herança.
  • Retorno proporcional ao valor das operações.
  • Não está sujeita à falência.
  • Constitui-se por intermédio da assembleia dos fundadores ou por instrumento público, e seus atos constitutivos devem ser arquivados na Jun­ta Comercial e publicados.
  • Devem ostentar a expressão “cooperativa” em sua denominação, sendo vedado o uso da expres­são “banco”.
  • Neutralidade política e não discriminação religiosa, social e racial.
  • Indivisibilidade do fundo de reserva entre os sócios, ainda que em caso de dissolução da sociedade.

Empresas que estão às portas de fechar, combalidas diante de dificuldades financeiras, podem viabilizar sua continuidade operacional e econômica através da formação de uma cooperativa, sendo os trabalhadores aderentes qualificados como cooperados e remunerando-se aos sócios da empresa a estrutura física e de mercado via arrendamento de fundo de comércio e instalações (aluguel).

Diante da crise que se instalou no Brasil, é uma alternativa para manter em funcionamento as atividades: trabalhadores conservam sua remuneração e sócios preservam parte de sua rentabilidade – a união de capital e trabalho de forma cooperativada.

Conheça mais detalhes através da obra:

Atualizado de acordo com as Novas Normas Contábeis - Resolução CFC 920. Contém Modelo de Estatuto e Atas. Tributação, Contabilização, Aspectos Societários e Fiscais. Clique aqui para mais informações. Manual das Sociedades Cooperativas

Mais informações

Pague em até 6x sem juros no cartão de crédito!

ComprarClique para baixar uma amostra!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: